Tese de Shodan – O Aikido na Floresta – por Renato Lessa

Manaus 17 de Setembro de 2011

Muito tem se dito sobre o AIKIDO e venho escutando e lendo muita coisa também. Nos oito anos em que pratico esta arte, pude perceber que a grande parte do que se escuta e se lê é verdade.

Descobri no AIKIDO um caminho de grande harmonia, não somente nas técnicas utilizadas durante o treino, mas uma harmonia que vai se tornando parte de nós durante a prática desta arte.

Sou Pernambucano de nascença, porém, uma parte do meu coração é Amazonense e durante estes oito anos de treino, tenho convivido com a história do AIKIDO em Manaus e pude identificar diversas coisas em nossa vivência nesta arte aqui em meio à floresta.

São elementos do AIKIDO que são realmente vivenciados tais como:

O relacionamento entre Sensei e alunos:

Em parte destes oito anos em que pratico o aikido, tive a oportunidade de treinar com o Instrutor que iniciou o AIKIDO em Manaus. No inicio aprendi sobre o respeito que se deve ter pelo Sensei, e isso pra mim foi algo fácil, pois sempre fui educado a respeitar as pessoas, e mesmo com o fim do relacionamento com nosso antigo instrutor, esse respeito não deixou de existir. Porém, com o término de um Dojo e o nascimento de outro, algo mais interessante surgiu. Eu e outro colega de treino chegamos a conversar e ficar em lados opostos no final da história de nosso antigo Dojo. No entanto, após vários acontecimentos, soube que esse colega, havia iniciado um grupo de treinamento com outras pessoas que eu gosto muito e nascia assim o Yama Dojo. Mesmo outrora estando em lados opostos, fui buscar a autorização deste colega para retomar meus treinamentos no Yama Dojo, neste ponto, acredito que podemos identificar um novo ponto chave do AIKIDO o AIKI, onde reagir a uma situação de forma relaxada e com boas intenções podem gerar bons frutos. O AIKI, empregado nesta situação, está em aprender a conviver com pessoas que até pouco tempo estavam em lados opostos e deste pequeno contratempo construir algo que se possa chamar de concreto e sadio. Neste momento iniciou-se algo que hoje eu entendo como sendo o verdadeiro respeito, que veio acompanhado pela admiração, tanto dentro, quanto fora do Dojo. Meu antigo colega e meu atual Sensei, conseguiu despertar um respeito tão grande em mim que eu não conseguia definir se ele se comparava com algum membro de minha família ou com algum grande amigo. No entanto, após pensar neste relacionamento cheguei à conclusão que havia surgido em minha vida um novo laço, que não se encaixa nem em familiar ou fraternal, mas que envolve estes laços também. Todo o respeito, admiração, tudo o que aprendi no AIKIDO, e só aprendi coisas boas, devo ao meu Sensei, Sensei Joacir. E aqui, em meio a uma cidade quente, cercada por florestas pude aprender que o laço que une o Sensei aos seus alunos, quando é construído de forma correta, é para toda a vida, pois é este sentimento que carrego comigo.

 

 

O relacionamento entre Sempai e Kohai:

Crianças, em sua formação, aprendem observando os pais, isso é fato. Pois os pais estão a mais tempo na caminhada da vida, normal este aprendizado seguindo um exemplo. Treinando o AIKIDO em um Dojo que segue o espirito tradicional do AIKIDO, pude perceber que da mesma forma que o Sensei nos trata, acabamos por compartilhar este sentimento, este tratamento, com os companheiros mais novos do Dojo.

No meu caso, tenho um real sentimento de irmão mais velho com os demais praticantes do nosso querido Dojo. E da mesma forma que vejo todo o respeito que o nosso Sensei demonstra pelos alunos, também vejo o carinho e a alegria em seu tratamento para conosco. Isto acaba nos servindo de exemplo. Então, todos os sempais do Dojo, tal qual crianças em aprendizado, acabam por transmitir aos novos amigos de treino o mesmo tratamento. É incrível a atmosfera de cooperação e companheirismo que é criada em um Dojo de AIKIDO. Eis que um novo laço surge, este com características bem grandes de fraternidade, o relacionamento Sempai-Kohai, relacionamento este que está além dos treinamentos das técnicas de AIKIDO, não é apenas um aluno mais experiente ajudando um iniciante a percorrer um caminho marcial, é um relacionamento onde se busca o crescimento mútuo, é crescer em conjunto, é deixar de lado o individualismo e realizar um crescimento coletivo, é a união entre pessoas que aprendem juntas, é simplesmente incrível.

Shuggyo:

Em meio à floresta não venta com frequência, e além da ausência de vento, o sol castiga, às vezes parecendo mais forte a cada dia. A umidade é alta e o ambiente funciona quase que como uma estufa. Não existe inverno, temos aqui um período em que chove mais e um período em que chove menos. Em meio a esse calor, que deixa kimono, hakama e faixa molhados, nós praticamos o aikido.

Sabemos que shuggyo é o treinamento austero, verdadeiro, onde se treina com o coração. Em meio à floresta, às vezes chega a faltar o ar nos pulmões, devido o clima quente. No entanto, existe um sentimento, uma paixão que nos leva a treinar e treinar, com o objetivo de nos tornarmos pessoas melhores, mais sinceras, mais felizes. E durante o treinamento sentimos o impacto do clima, no entanto, treinamos com vontade, com sinceridade e ao final do treino, quando estamos todos cansados e pingando suor, podemos dizer, e dizemos com frequência: “Hoje o treino foi bom”.

Este é o tipo de treinamento aplicado por nosso Sensei, é esse sentimento que ele nos passa e é esse sentimento que nós, alunos, antigos e novos, tentamos compartilhar entre nós. Shuggyo no fim das contas é algo que conforta nosso espirito, pois é como se ao final de um treinamento sincero e forte, nossa alma estivesse lavada e pacificada da turbulência gerada no dia a dia.

Hibbi Shoshin:

Mesmo distantes dos grandes centros de aikido no Brasil, temos, frequentemente, a hora de receber em nosso Dojo grandes nomes do aikido brasileiro e latino-americano, graças ao nosso Sensei.

É impressionante como a cada seminário, cada encontro técnico percebemos o quanto não sabemos nada, o quanto ainda estamos no começo. Ter essa consciência, olhar para estas pessoas executando movimentos perfeitos e treinar cada vez mais para tentar um dia atingir algo semelhante é o que conhecemos como Hibbi Shoshin, o Espirito de Iniciante.

Para manter este estado de espirito, antes de tudo precisamos manter a humildade em nossos corações, saber que estamos no começo de um caminho longo e que precisamos de auxílio para percorrê-lo. Hibbi Shoshin é ter consciência da nossa pouca maturidade no aikido, e em diversas situações da vida, e tentar cada vez mais aprender, não somente aprender com a mente, mas aprender com o coração, com a alma, aprender com sentimento e se alegrar com o ensinamento adquirido e sempre respeitar aquele que o ensina.

Eu poderia citar vários exemplos sobre nossa prática do aikido em meio à floresta, mas não diria nada muito diferente do que já foi escrito, no entanto, sei que estarei me repetindo mais uma vez, mas o ensinamento é isso: aprendemos e ensinamos sempre algo semelhante. No entanto não poderia deixar de falar sobre o ponto em que tudo isso, todo esse ensinamento, todos esses pilares que sustentam o nosso treinamento, este ponto é o Sensei.

Nesses anos, em que pratico o aikido, pude perceber que aos poucos vamos aprendendo não somente uma arte marcial. Estamos aprendendo a nos tornar pessoas melhores, pessoas que, quando bem educadas, irão contribuir de uma melhor forma com o meio em que vivem. E essa mudança é o resultado de um trabalho desenvolvido por esta pessoa que percorre o mesmo caminho que nós, mas que está um pouco à frente, nos guiando, nos ensinando e corrigindo, nos educando.  Sem o Sensei em nosso caminho, não caminhamos corretamente, apenas andamos perdidos, sem saber onde podemos chegar, sem saber aonde ir.

Hoje, após tantas coisas vividas, só tenho que agradecer ao meu Sensei pelo caminho em que estou, tenho que agradecer pelo exemplo de amigo, homem e profissional que ele é e que nos ajuda a cada dia mais melhorar como pessoa e como praticante de aikido.

Domo Arigato Gozaimashita Sensei Joacir.

Obrigado à minha família, que sempre me apoia.

Obrigado aos meus amigos e irmãos de treinamento em especial o Luiz Pontes, que caminha lado a lado comigo em nosso desenvolvimento.

Obrigado Deus, por todas essas graças.

Renato Marques Lessa

Yama Dojo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s